Angela Paiva / Onildo Moreno


Angela Paiva


"O Amor e a Rotina"
Cordel - Angela Paiva
Última estrofe adaptada para homenagem no Dia dos Namorados

Clicar na imagem para ampliar
















Pierrot em dezembro


Era para tudo ser só alegria
eu em êxtase na borbulha do amor
com meus olhos cantando qual trovador
no teu corpo coberto na fantasia

Eu Pierrot você Colombina
par perfeito de um amor legendário
fevereiro marcava o calendário
mas passou feito vento em turbina

Passa o ano de março a agosto
no meu peito aperta o desgosto
mesmo com a primavera em setembro

e sem ter chegado o carnaval
bebo até ficar passando mal
vestido de pierrot em dezembro





Clicar na imagem para ampliar


 












Poesias de Onildo Moreno 



Todos os meus poemas estão devidamente registrados no escritório de direitos autorais da Fundação Biblioteca Nacional/Rio de Janeiro/Brasil





Dia especial é assim:
Chega com euforia
Faz festa e fantasia
Enche-se de alegrias
Em sorrisos, que não tem fim...
E o brilho do olhar; então?!
Faz calar de emoção
O ofuscar da voz em nós
Que fala mais que a canção
E no peito canta: Parabéns pra você!
Desejos de felicidades mil...
Votos de alegria e prazer
Em pensamentos enfeitados de doces momentos
Fazendo sentir zilhões de dias festivos
Dias que brilham sem medo
Da vontade que arde na gente
Que quer apenas vê-lo contente
Realizando projetos e sonhos
Em meio ao seu sorriso presente
Do tempo do menino “ONILDO MORENO”
Da paz do “HOSHÊA” o Poeta da gente!!!

FELIZ ANIVERSÁRIO!!!
DEUS abençoe pra todo sempre...
Luciene B. Gomes (Luca-bg)* 27/04/2013.



Marrano desejo


Você chegou assim diferente
Rasgando minha pele morena
Despertou desejos escondidos
Jamais revelados na clausura
Em minha loucura no exílio
O sal doce de tua pele
Suficiente segredo místico
Que alimenta minha alma
Marrano desejo...




















Foto







Amor te falta


Amor te falta
Lindas palavras vazias
Anunciam tua ilusão
Única indiferença
Raiz da Sinceridade
Amor te falta...

 

A verdade


A verdade bifurcada
Doce veneno que afaga
Na ausência calada
A verdade apedreja
O poeta
Fica o pensamento
Nos lábios dela
Na luz da madrugada
As estrelas apagam
A verdade amarga
Cauim
Bebida em tua taça
Com uma talagada
Sobre o poente
De mentiras... 



PS: Todos os meus poemas estão devidamente registrados no escritório de direitos autorais da Fundação Biblioteca Nacional/Rio de Janeiro/Brasil

 

 

MISTURA


EU QUERO LICOR DE MENTA
EU QUERO PIMENTA
EU QUERO VINHO
EU QUERO CARINHO
EU QUERO AZEITONA
EU QUERO QUEIJO
EU QUERO BEIJO
EU TE DESEJO
EU QUERO VOCÊ
VEM ME ENLOUQUECER
TE QUERO SEM FIM
VEM PRA MIM
VOU ENLOUQUECER
POR NÃO TER VOCÊ
QUERO SER DEVORADO
JAMAIS TE ESQUECER
VEM ME AQUECER
NO ESPELHO QUERO TE VER
E EM TEUS BRAÇOS VOU DORMIR
E SER UMA MISTURA SEM FIM



ONILDO MORENO

PS: Todos os meus poemas estão devidamente registrados no escritório de direitos autorais da Fundação Biblioteca Nacional/Rio de Janeiro/Brasil

 

 



POESIA NO LIXO

SER POETA É TER ALMA
É FALAR DE AMOR
É DIZER TE AMO
MAS POESIA NO LIXO ?
SIM NO LIXO
MAS NO LIXO ACHEI A COLEÇÃO DOS
ANAIS PERNAMBUCANOS
SIM NO LIXO
PEREIRA DA COSTA
NO LIXO
MAS FOI PRESENTE DO ETERNO
NO LIXO
POESIA NO LIXO
ONILDO MORENO  NO LIXO
SUA POESIA NO LIXO
ALGUÉM VAI ACHAR NO LIXO
VAI  LER E DIZER
ESSE MORENO POETA
NÃO É LIXO
AMA FORTE COM UMA PERNAMBUCANIDADE 








ESTÚPIDO AMOR!



Estúpido amor que invade

Meu coração sefarad

Lembrança de Anunciação

Lua nova, D’us te salve.

Guarde-me do estúpido amor

Não sei se vou perdoá-la

Mas ainda amo doidamente

Estúpido amor!

Doença sem cura...


Onildo Moreno

Amadis ! Ama...


Amadis
Ama ...
Ama o sorriso
Ama o olhar...
Ama a noite...
Ama com força...
Ama com uma Pernambucanidade !





Tantas vêzes
 

Tantas vêzes, na madrugada rezo
Para cobrir-te com meu corpo
Sentir o cheiro de tua flor
Tantas vêzes, em vão, rezo

Tantas vêzes grito no silêncio
Teu nome, Irmã, Amiga !
Tantas vêzes sem rumo ou rota
Sem saber ondes estais !

Tantas vêzes eu tremia e tu sorriste
Mergulhamos os dois sem volta
Tantas vêzes nos corredores
Escuras alcovas...

Onildo Moreno

Nenhum comentário:

Postar um comentário